#17 | Perfil do Consumidor 2019

Atualizado: Mai 19

Segundo o art. 2º do Código de Direito do Consumidor (CDC), o consumidor é toda pessoa física ou jurídica que adquire/utiliza produtos ou serviços como destinatário final. No parágrafo único, equipara-se a esse consumidor toda uma coletividade de pessoas, ainda que indetermináveis, que agem intervindo na relação de consumo, como é o caso do recall.


Visto esses conceitos básicos, é possível falar a respeito da pesquisa Nielsen, um instituto de grande credibilidade no mundo que, entrevistando mais de oito mil lares, ouviu mais de 21 mil pessoas no Brasil para tratar sobre “Os estilos de vida de 2019”.


O questionário utilizado na pesquisa contava com 100 questões, divididas em módulos de entendimento no qual eram citados tempo livre, hobbies, atitudes, valores, metas, meios de comunicação, hábitos de compras (antes, durante e depois das compras) e preocupações com a sua saúde e de sua família. Assim, a pesquisa revelou não apenas uma transformação no pensamento dos brasileiros, mas também identificou que estamos cada vez mais complexos, não cabendo em perfis isolados, dogmáticos, parados e demográficos de antigamente, separando em homem ou mulher, rico ou pobre, velho ou novo. Em síntese, estamos mais sustentáveis.


De acordo com a pesquisa, 42% dos consumidores do Brasil mudaram os hábitos de consumo para reduzir os impactos no meio ambiente e 30% já leem os rótulos dos produtos alimentícios para saber o que vem neles. Além disso, 58% dos brasileiros não compram mais produtos de empresas que realizam testes em animais e 65% não consomem de empresas associadas a trabalho escravo, mostrando uma grande mudança na consciência atual.


A pesquisa também mostrou que a população brasileira está reduzindo a gordura, sal e açúcar, assim como a cafeína, lactose e glúten. Com uma nova normativa, os alimentos industrializados serão praticamente banidos ou substituídos. Os brasileiros já estão consumindo e fazendo exercícios mais regularmente, pois 74% dos entrevistados constaram ter saúde como um dos seus objetivos de vida.


Os brasileiros estão mais negociadores também. Segundo a pesquisa, 64% dos entrevistados compram quando os produtos estão em oferta, 73% buscam primeiro pelas promoções quando entram nas lojas, 57% mudam de loja por conta das promoções oferecidas e 48% dos brasileiros pesquisam. Essa também é uma revolução trazida pela indústria 4.0, visto que o brasileiro está mais conectado.


O estudo da Nielsen mostrou que 64% dos consumidores têm smartphones, 48% utilizam o celular para interações e redes sociais e quase 40% utilizam o aparelho para entretenimento. Com os brasileiros mais conectados, 50% utilizam, veem propagandas e são atendidos por elas de forma on-line, é um dado impressionante visto que a televisão atinge apenas 42%. Além disso, os números de pedidos realizados no e-commerce em 2018 foi de 1.023.000, um aumento de 11% em relação ao ano anterior.


A Nielsen conseguiu dividir em cinco perfis os novos hábitos de consumo dos brasileiros, são eles:


  1. Consciente pragmático: É aquele que sabe de tudo, assistirá a televisão antes de comprar e não acredita em propagandas. No mercado, sempre compra os mesmos produtos, independente de estar em promoção ou não;

  2. Equilibrista: É o negociante, busca fazer escolhas inteligentes para conseguir consumir tudo o que quer. Gosta de andar na loja e ver os folhetos antes de comprar e adora novidades, até mesmo as pessoas que vão com ele às lojas o influencia na hora de sua compra;

  3. Consciente sonhador: Este, objetiva levar uma vida sossegada, no qual possa cuidar de si e do mundo. Ele olha folhetos, procura promoções, mas gasta mais com produtos que melhoram a sua saúde;

  4. O Conectado: Também chamado de “always on” (sempre ligado em tradução livre), é aquele que vive on-line, se diverte e passa todo o seu tempo livre nas redes. Esse perfil vai direito naquilo que precisa, mas não é apegado à loja e muda caso ache uma promoção mais atraente. É impulsionado pelas ofertas, e tem preferência de comprar sempre aquele mesmo produto;

  5. Prafrentex: Ele alia o seu bem-estar ao consciente coletivo. Antes de comprar, gosta de olhar as promoções no aplicativo, andar pelas lojas, buscar por mais alimentos orgânicos e produtos sustentáveis e geralmente compra mais do que o previsto.


Visto isso, foi concluído que no Brasil a maioria dos consumidores são equilibristas, 27%, em seguida vem os prafrentex, 22%, e os pragmáticos. Os conscientes sonhadores e os conectados que ficam empatados em último lugar. De qualquer forma, embora um deles sempre predomine, a pesquisa mostrou que o consumidor brasileiro possui uma combinação desses perfis.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
222_edited.jpg
andre-emdireito-1170x1170.jpg